29/6/2018 - GUAMÁ RECEBE 1º CORTEJO CULTURAL “CONEXÃO DE SABERES”

O Bloco Nação Organ realizará seu primeiro cortejo cultural “Conexão de Saberes” no dia 30 de junho. O cortejo promete colorir as ruas do Guamá com música e alegria, tendo como partida inicial da Sede do Pássaro Junino Beijar Flor, localizado na Rua Frei Daniel de Samarati, no bairro do Guamá, às 16h.

O bloco nasceu há dois anos, com uma mistura de cultura do Pará/Pernambuco que se dedica a promover as bandeiras da arte musical e cênica e da cultura popular e tradicional dos estados brasileiros, com a junção de ritmos como: carimbo, o pássaro, samba-reggae, entre outros estilos.

A ação que faz parte do projeto “Conexão de Saberes” dividiu-se em dois momentos. O primeiro é de formação, realização de oficinas contemplando o bairro do Guamá e o segundo, de apresentações artísticas. As oficinas serão diárias e iniciaram no dia 25 de junho, na quadra da Associação Carnavalesca Bole Bole.

Segundo a coordenadora Suellen Ferro, o projeto leva educação e mantém a cultura regional. “O cortejo vai mostrar às crianças e adolescentes inseridos ou não no projeto, a cultura, música, arte e educação e como esses elementos criam a consciência de caminhos melhores do que a criminalidade e drogas”, afirmou.

O cortejo será o momento de apresentar os resultados após o intenso período de formação ministrado. Para que o evento acontecesse, o bloco uniu forças com grupos e profissionais do mundo artístico e cultural de Belém, como o pássaro Junino Beija Flor e potencializar a vivência das tradições e manifestações culturais.

“Esperamos atingir um grande público e firmar a continuidade do projeto e manter forte as manifestações culturais que existe no bairro do Guamá e afastar ao máximo possível os jovens da criminalidade,” disse Suellen.

O projeto tem como objetivo a salvaguarda de saberes e fazeres de mestres da cultura popular e o envolvimento das novas gerações e estimular o ensino, reconhecimento, valorização e a mistura da cultura popular, como o carimbo. Com isso, fortalecer a identidade e estimular a troca de informações e experiências entre mestre, músicos, brincantes, pesquisadores, produtores culturais e comunidade em geral. Este projeto conta com o patrocínio do Banco da Amazônia por meio de Edital Público.

Para o coordenador de patrocínios do Banco da Amazônia, Ewerton Alencar, os projetos culturais, incentivados ou não por Lei Municipal, são voltados à Literatura, Eventos Culturais, Música, Audiovisual e Artes Cênicas. “A instituição é o maior incentivador da cultura e apoia todos os tipos e em todos os estados, é importante saber, que o projeto realiza ações voltadas para a educação e estimulo a cultura promovendo troca de experiências com os profissionais da área,” relatou.